Informamos o falecimento do escritor pioneiro, Luiz Carlos de Oliveira Cerqueira

10464339_305015336334244_1803099268101701321_n

“FATALIDADE N° 84, OP.78, N° 1

Há sempre um dia em que partimos.

Nesse dia levamos conosco uma lágrima de esperança

e para os que sentem a nossa ausência,

deixamos, num sorriso, a saudade.

Você vai partir — eu queria esconder isto de mim,

queria mentir para a minha ilusão;

você vai, de malas prontas, tomar o trem da esperança;

você vai partir sorrindo, sorrindo…

Talvez nem se lembre de ter saudades,

talvez nem saiba mesmo que alguém terá saudades,

pois há uma espécie de fatalidade em nossas vidas:

— Há sempre um dia para sentir saudades,

pois há sempre um dia em que nos partimos

Extraído de

SOLIDÃO DAS HORAS – São José dos Pinhais, 1991″

 

É com todo pesar que vimos trazer a triste notícia do falecimento de nosso querido amigo, o escritor e pioneiro do Sindescritores, Luiz Carlos de Oliveira Cerqueira. Ele recebeu o número de matrícula número 45.

Ele parte deixando-nos muitas lições de amor, amizade, profissionalismo, ética e humanidade.

As pessoas são insubstituíveis em sua existência, e quando são especiais, além da falta que fazem àqueles que as amam, deixam o mundo mais pobre. Sem o nosso amigo, o mundo perde um pouco do seu brilho, alegria e cor.

Não temos palavras para expressar os nossos sentimentos. Pedimos a Deus que conforte o coração dos familiares e amigos neste momento de dor e os console e lhes dê serenidade para atravessar esta tempestade.

A Deus pedimos também que dê ao nosso amigo o merecido repouso eterno em seu reino. Muito respeitosamente, prestamos as nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames.

Ele nasceu no dia 28 de janeiro de 1935 em Monte Serrat, Mun. de Governador Levy Gasparian – RJ. Premiado em pintura, crônica e poesia.

Livros editados: “Solidio das Horas” (1990)- EDITEL Listas Telefônicas, Curitiba; “Além da Curva, a Saudade” (1997) – idem; “Quando Houver Nunca Mais” (2002) – Thesaurus Editora, Brasília.

Participou de muitas antologias no Brasil e em outros países, destacando-se as editadas pelo Instituto da Poesia Internacio nal, Porto Alegre; “Brasília; Vida em poesia” (1996) – Valci E ditora, Brasilia; “Pensar em Arte e a Arte no Pensar” (1997) – Univ. de S. Francisco, Bragança Paulista; “Espejos de la Pa labra/Espelhos da Palavra” (1999) – SUReditores, Montevideu; “Letras de Babel” (2001) – Ediciones Pilar, Montevideu; “Prêmio SESC de Poesia” (2002) – Edit. do SESC- Brasília. É verbete da “Enciclopédia de Literatura Brasileira” (2001), de Afranio Coutinho e J. Galante de Souza, São Paulo;”Dicionário de Escritores de Brasília” (2003), org. por Napoleão Valadares.

As informações sobre ele foram extraídas do site de nosso querido Antonio Miranda.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s