Falecimento do fundador do Sindescritores Alan Viggiano aos 90 anos

Faleceu aos 90 anos, no domingo (18/09), o escritor Alan Viggiano ( *Inhapim-MG 18/03/1932, +Brasília-DF 18/09/2022).

O velório será realizado nesta terça (20/09), das 13 às 15 horas, na Capela 06 e o sepultamento será às 15h30, no Cemitério Campo da Esperança (Asa Sul, DF).

Fundou o Sindicato dos Escritores do Distrito Federal, sendo seu primeiro presidente.

Em 2020,  o Sindescritores o homenageou colocando o nome dele em um prêmio literário: Prêmio Alan Viggiano – Conto e Poesia.

“Foi uma grande perda para a literatura brasileira assim como para nós, colegas de Brasília. Muito nos orgulhamos da qualidade das obras dele, terem sido, inclusive, reconhecidas e premiadas pela Academia Brasileira de Letras”, disse o presidente do Sindicato. Gilbson Alencar.  

“Alan foi inventar Blues em outras paragens e deve estar encantando a todos agora com seu jeito irreverente de ser”, revelou o organizador do Prêmio Alan Viggiano, presidente do Instituto Fazer o Bem e Vice do Sindescritores, Marcos Linhares.

O secretário de Estado de Cultura e Economia Criativa do DF, Bartolomeu Rodrigues também se pronunciou sobre a passagem do saudoso escritor. “Profundamente triste com a perda do nosso querido Alan Viggiano, de quem guardamos sempre uma lembrança carinhosa, um amante das letras, da vida, um escritor que inspirou gerações de novos talentos no Distrito Federal”, alegou.

O presidente da Câmara Brasileira do Livro(CBL), Vitor Tavares, também se pronunciou sobre o fundador do Sindescritores. ” Noventa anos, que vida rica!!!, que legado profícuo nos deixa esse grande escritor. Pessoas boas e sabedoras de como viver bem e para o próximo, também partem mas seu legado fica e sempre será exemplo para as gerações futuras. Nossos sentimentos aos amigos e familiares do grande escritor Alan Viggiano, sim fará falta , sempre”

Uma vida admirável

Prêmios do autor na Academia Brasileira de Letras: “Afonso Arinos” (Contos), por “O Exilado”; “Francisco Alves” (monografia sobre o ensino fundamental no Brasil e sobre a língua portuguesa), por “Uma aventura linguística” e “Prêmio Coelho Neto” (Romance), por “Lisábria de Jesus”.

Filho de mãe costureira e pai caldeireiro, ele e o irmão Moacyr, também escritor, conheceram Ziraldo em Caratinga, e a amizade inspirou a criação de personagens da Turma do Pererê. Alan inspirou o macaco e Moacyr foi a inspiração para a criação do jabuti.

Em 1963, Alan Viggiano, já bacharel em Direito, fez concurso para taquígrafo do Senado, transferindo-se para Brasília. Em 1965, publicou seu primeiro livro, “Amanhece” (romance). Em 1970, formou-se em Comunicação pela Universidade de Brasília. Em 1971, tornou-se assessor de imprensa da UnB. Trabalhou como jornalista no jornal Última Hora e no Correio Braziliense.

Em 1979, entrou para a Academia Brasiliense de Letras. Em 1983, tornou-se mestre em Literatura Brasileira pela UnB. Em 1984, entrou para a Academia de Letras e Artes do Planalto. Era membro da Associação Nacional de Escritores (ANE), sendo quatro vezes presidente.

Fundou a Editora André Quicé

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s