Coluna Leituras Inclusivas-Projetos brasilienses em Curitiba/Paraná

*Dinorá Couto Cançado

Entre os dias 5 e 7 de agosto a capital paranaense irá respirar e celebrar a cultura, em um dos grandes eventos promovidos pela Associação Internacional de Escritores e Artistas, que promete, mais uma vez, seguindo o sucesso dos anos anteriores, emocionar e trazer a público os nomes que se destacaram em literatura, artes plásticas, música e jornalismo.

Uma das homenageadas e apresentadora do seu projeto-destaque do ano é a escritora e ativista cultural Dinorá Couto Cançado que, pelo FAC/SEC/GDF, desenvolveu a Mostra 50 projetos mapeados em Brasília. capital das leituras. Este projeto percorreu 14 cidades do DF, cadastrou mais 101 novos projetos e destes, 5 se apresentaram na décima edição do Fórum Brasília, capital das leituras, na 32 Feira do Livro de Brasília. Com isso,  a Mostra levada para Curitiba já conta com mais esses 5 mapeados:

Dinorá em Curitiba

O mundo fantástico da leitura,  da EC 03 de Brazlândia; Transformação, da EC Córrego de Sobradinho/CRE do Paranoá;  Interagir para aprender, do CEF 04 do Guará; Livros caindo n’alma, da EC 11 de Sobradinho e o projeto com maior número de pontos da manhã,  Mulheres inspiradoras, do CEF 12 de Ceilândia, com Gina Vieira Ponte, professora homenageada local da Feira do Livro.

Programação: 

Sexta- Feira: 

O evento terá seu ponto de Partida no dia 5 de agosto no Palacete Wolf, com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba, com um Café Literário de boas-vindas, juntamente com um sarau, das 15h às 17:30h .

Neste momento, serão lançados os livros solos inéditos de alguns escritores..
A abertura terá uma apresentação sobre o projeto idealizado pela escritora e agente cultural  Dinorá Couto Cançado “Brasília, Capital das Leituras”.

No sábado, participação na  cerimônia de premiação dos Melhores do Ano 2016 no Memorial de Curitiba e,  no domingo,  numa ação inovativa,  na Feira do Poeta, onde a Literarte preparou centenas de camisetas para distribuição com obras dos artistas plásticos e frases dos escritores: apresentação de livros à venda e de brinde com a compra, o leitor ganha 1 camiseta. Algumas, com o banner/mapa do DF, à frente.

 

*Dinorá Couto Cançado é agente cultural em literatura, gestão, pesquisa, capacitação e produção cultural. Autora de livros infantis, membro-fundadora da Biblioteca Braille Dorina Nowill, especialista em inclusão.

Contatos: (61) 99701366

E-mail: dinoracouto@gmail.com

www.facebook.com/dinoracouto.cancado

Roda inclusiva na Biblioteca Braille  recebe a Pesquisa Data Folha- -COLUNA “LEITURAS INCLUSIVAS”

Roda 2.jpg

Roda inclusiva na Biblioteca Braille  recebe a Pesquisa Data Folha- -COLUNA “LEITURAS INCLUSIVAS”

*Dinorá Couto Cançado

Alguns autores muito comprometidos com o Projeto Luz & Autor em Braille, desde o seu início, em 1995, compareceram à Biblioteca Braille Dorina Nowill realizando uma roda de discussão inclusiva sobre o passo a passo do projeto. Dentre os escritores presentes que já foram patronos dos deficientes visuais na primeira versão do projeto e que continuam até hoje, destacam-se: Margarida Drumond de Assis, Regina Célia de Melo, Andrey do Amaral…

Roda

 

Regina Célia veio acompanhada de Áurea, consultora literária da Editora Paulinas, grande parceira do Projeto Luz & Autor em Braille que sempre reforça os projetos da Biblioteca com novidades literárias; há poucos dias, dezenas de títulos vieram enriquecer o acervo que alimenta os projetos desenvolvidos nesse Espaço Cultural.

O autor parceiro e amigo da Biblioteca, Andrey do Amaral, que trouxe ao grupo proposta de projeção de filmes com áudio descrição, em sua postagem/legenda de uma foto, conta a surpresa: “estamos na Biblioteca Braille Dorina Nowill, em Taguatinga-DF, reunidos para visita técnica do MPF em um prêmio nacional que o projeto Luz & Autor em Braille está concorrendo. Acessibilidade Cultural e inclusão é nossa bandeira.”

A autora Regina Célia de Melo encantou a coordenadora da Biblioteca Leonilde Fontes que nesses 10 anos à frente da Biblioteca Braille, não a conhecia, pessoalmente, apesar do livro de Regina ser o mais trabalhado na Biblioteca. A deficiente visual, Noeme Rocha, presente na roda utiliza o livro Uma joaninha diferente no seu projeto Teatro infantil em ação. Os outros títulos de Regina Célia cativam os leitores cegos, como “O menino que descobriu Brasília”, contado por Luis Eduardo, 8 anos, o frequentador mais novo da Biblioteca.

A apresentação de Margarida Drumond de Assis com suas obras literárias remeteu à sua jornada de leituras, ocasião que foi voluntária na Bibliobrailledf , pensando em retornar, logo que possível. Recordou seu livro Aconteceu no cárcere teatralizado por 4 irmãs cegas do Gama, no primeiro ano do projeto.

Já sobre o escritor Andrey Do Amaral recordamos todos os momentos que esteve e está junto com a equipe/família Braille, não só com recursos materiais acessíveis, mas com o apoio tão necessário em alguns momentos, prometendo a doação de DVDs à todas as Bibliotecas públicas do DF, um de seus ricos trabalhos como agente cultural.

O colaborador voluntário Edson Geraldo Cançado, presente, ao lado da autora do projeto em pauta, Dinorá Couto, contou de suas participações no projeto mundo afora, recordando a mais recente, em final de 2015, na delegação Feira do Livro de Guadalajara, junto com o escritor presente Andrey do Amaral.

A Diretora das Bibliotecas Públicas do DF, Maria das Graças Pimentel, colocou o grupo a par do sucesso que foi o evento inclusivo que participou em São Paulo, promovido pela Fundação Dorina Nowill, interagindo com cada participante/autor presente.

Uma nova autora que entra nessa nova fase do projeto que completa, nesse ano, 21 anos é Maria Lenir Alves Ribeiro, professora cativante na arte da matemática com o seu primeiro livro já publicado nessa área. Na roda, a apresentação de Maria Lenir Alves Ribeiro sobre seu livro Tabuada agora é fácil e painel inclusivo possibilitou um aprendizado bem significativo aos deficientes visuais presentes, com destaque para a interessada Teodora Ursino, que tem baixa visão.

Depois da roda de discussão inclusiva na Biblioteca Braille na manhã de 22/06/16, a presença de consultor da Pesquisa Data Folha conhecendo melhor a trajetória do Projeto Luz e Autor em Braille. Diemerson C. da Silva, pesquisador datafolha, que, além de ser esclarecido nas perguntas que fez, ainda gravou um vídeo de até 2 minutos, sobre como o projeto contribui com a justiça brasileira.

E, já na torcida, segundo Maria Lenir Alves Ribeiro: “Sucesso Dinorá, na conquista por mais um prêmio! Com esse rico projeto literário que integra os deficientes visuais do DF aos escritores brasilienses, promovendo sua socialização, estarei torcendo pela vitória!!!”

*Dinorá Couto Cançado é agente cultural em literatura, gestão, pesquisa, capacitação e produção cultural. Autora de livros infantis, membro-fundadora da Biblioteca Braille Dorina Nowill, especialista em inclusão.

Contatos: (61) 99701366

E-mail: dinoracouto@gmail.com

www.facebook.com/dinoracouto.cancado

Mostra Viva 50 projetos mapeados em Brasília-COLUNA “LEITURAS INCLUSIVAS”

BANNER.jpg

 

Mostra Viva 50 projetos mapeados em Brasília…

*Dinorá Couto Cançado

Com mais de quatro décadas de atuação na educação/cultura, a agente cultural pelo FAC/SEC/GDF, Dinorá Couto Cançado, reconhecida internacionalmente por suas  contribuições na área de leituras inclusivas, se prepara para levar essa pesquisa/mostra às escolas públicas do DF. A mostra, intitulada, 50 projetos mapeados em Brasília, capital das leituras  exibe, 50 trabalhos, entre projetos de escritores, de professores, de deficientes visuais e de membros da sociedade civil.

A mostra, viabilizada pelo Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura do DF, percorrerá as 14 Regionais de Ensino do DF: Brazlândia, Ceilândia, Gama, Guará, Núcleo Bandeirante, Paranoá, Planaltina, Plano Piloto/Cruzeiro, Recanto das Emas, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Sobradinho, Taguatinga.

mostra 2.jpg

O projeto “Brasília, capital das leituras” começou em 2007 e já teve nove edições de um Fórum, onde projetos de sucesso do DF se apresentam. Em 2009, os 25 projetos mapeados nas 3 primeiras edições do Fórum foram campo da pesquisa Leitura, Cidadania e Transformação Social feita pela proponente e eterna pesquisadora Dinorá. Finalista no Prêmio Brasil Criativo, o projeto Brasília, capital das leituras consiste em mapeamento, fórum, pesquisa e, agora, essa Mostra viva itinerante.

SERVIÇO
Mostra  50 Projetos mapeados em Brasília, capital das leituras
Onde: 14 Regionais de Ensino do DF
Quando: abril a junho
Entrada: Gratuita /professores, coordenadores de escolas públicas
Informações: (61) 99701366  / dinoracouto@gmail.com

Poema da Mostra 50 Projetos

Apresento  a vocês,  interessados,
uma mostra com projeções futuras
de 50 projetos mapeados
em Brasília, capital das leituras.
Teve inicio, em 2007, com livros
com 10 projetos se apresentando
em um Fórum na Feira do Livro
e, no ano adiante, continuando.
Em 2008, mais seis iniciativas
também, na Feira,  se mostraram
e, com trocas significativas
as ações se consolidaram…
E mais nove projetos,  no ano de 2009,
encontraram-se, os 25,  na Biblioteca Nacional
foram o campo de uma  pesquisa séria
Leitura, Cidadania e Transformação Social…
De lá pra cá, 5 a cada ano, chamados a apresentar
e chegando aos 50, motivos para celebrar…
A mostra percorrerá o Distrito Federal
14 cidades com as escolas de cada  Regional
muitas descobertas, assessoria e capacitação
nessa  mostra viva, itinerante e  muita participação!
Conheceremos  mais da   Regional de Brazlândia
e  4  projetos-destaques em  Ceilândia…
Novos  projetos a surgir  no Gama,  Guará
e também no Núcleo Bandeirante e Paranoá.
Planaltina e seu  Café com Letras  já consolidado
O Plano Piloto/Cruzeiro, no ranking, bem mapeado
O Recanto das Emas já se apresentou
Samambaia não ficou de fora, celebrou!
E  Santa Maria, bem presente
São Sebastião, também, minha gente…
Sobradinho,  já nos  contemplou com três
mas foi Taguatinga que teve a sua vez…
dos 50, 17 projetos sediados nessa cidade
33% do total mapeado, alguns na maioridade.
Viva esse momento, a hora é agora…
de trocar ideias, de partilhar  e divulgar
juntos sonharmos,  mundo afora
e, com Brasília, capital das leituras, celebrar!

*Dinorá Couto Cançado é agente cultural em literatura, gestão, pesquisa, capacitação e produção cultural. Autora de livros infantis, membro-fundadora da Biblioteca Braille Dorina Nowill, especialista em inclusão.

Contatos: (61) 99701366

E-mail: dinoracouto@gmail.com

www.facebook.com/dinoracouto.cancado

Nesta terça, 4 de maio: REDE DE LEITURA INCLUSIVA DO DISTRITO FEDERAL

rede de leitura inclusiva

Compartilhamos informação importante dividida conosco pela sindicalizada Dinorá Couto Cançado :

REDE DE LEITURA INCLUSIVA DO DISTRITO FEDERAL

A Rede de Leitura Inclusiva do Distrito Federal comunica a todos os interessados do encontro gratuito que tem por finalidade potencializar as ações de leitura junto as pessoas com deficiência visual. Será um dia inteiro de diálogo e vivências no dia 04 de maio na Biblioteca Nacional de Brasília. Confira a programação no link abaixo, mais de cem inscritos,  a participação é gratuita.
Essa proposta faz parte da Rede Nacional de Leitura mobilizada pela Fundação Dorina Nowill e já abrange todos os Estados brasileiros, reunindo diversas organizações e pessoas comprometidas em ampliar as oportunidades de acesso ao livro e a leitura para as pessoas com deficiência visual e demais deficiências. Conheça mais sobre essa oportunidade no canal colaborativo da rede: www.redeleiturainclusiva.org.br.
Local: Biblioteca Nacional de Brasília – Auditório /s/n – Esplanada dos Ministérios 2, Brasília – DF, 70070-150
Telefone:(61) 3325-6237

Publico Alvo:   Profissionais que atuam com  livro/ leitura ( educadores, brincantes, bibliotecários,  contadores de histórias,  demais interessados que atuam com inclusão de PNEs)

 

Segue abaixo link com a programação completa do evento:

 

http://redeleiturainclusiva.org.br/i-encontro-da-rede-de-leitura-inclusiva-do-distrito-federal-acontecera-no-dia-04-de-maio/

O grupo de trabalho do Distrito Federal está a todo vapor com a preparação do primeiro encontro da Rede de Leitura Inclusiva, que será realizado no próximo dia 04 de maio na Biblioteca Nacional. Com uma programação de dia inteiro haverá palestras sobre Leitura Inclusiva, Tecnologias Assistivas e Audiodescrição a entrada é gratuita e para participar é necessário fazer a pré-inscrição através do link a seguir: clique aqui para inscrição. Confira a Programação do encontro:

Manhã

8h às 8h30: Credenciamento
8h30 às 9h00: Abertura e Apresentação Artística
9h00 às 9h30: Lei Brasileira de Inclusão e o acesso ao livro
9h30 às 10h00: Livro e Leitura com a escritora Elizete Lisboa

Intervalo

10h30 11h00: Acessibilidade Audiovisual
11h00-11h30: Tecnologias Assistivas
11h30- 12h00: Diálogo com participantes

Fechamento manhã com Contação de Histórias

Tarde

13h10 – 13h30: Exibição de filme curta-metragem com audiodescrição

Rodízio nos mini cursos de:

13h30 – 15h00: Turma I – Educando para a inclusão – como ajudar uma criança a se tornar leitora/Roda de Leitura Inclusiva

intervalo

15h30 – 17h00: Turma II – Educando para a inclusão – como ajudar uma criança a se tornar leitora/ Roda de Leitura Inclusiva
Local: Biblioteca Nacional de Brasília – Auditório /s/n – Esplanada dos Ministérios 2, Brasília – DF
Telefone:(61) 3325-6237

REDE DE LEITURA INCLUSIVA DO DISTRITO FEDERAL-COLUNA “LEITURAS INCLUSIVAS”

dinora

REDE DE LEITURA INCLUSIVA DO DISTRITO FEDERAL

  • Dinorá Couto Cançado

 

A Rede de Leitura Inclusiva do Distrito Federal convida a todos os interessados a estarem reunidos em encontro gratuito que tem por finalidade potencializar as ações de leitura junto as pessoas com deficiência visual. Será um dia inteiro de diálogo e vivências no dia 04 de maio na Biblioteca Nacional de Brasília.

dinora 2

 

Confira a programação e se inscreva preenchendo o formulário abaixo, a participação é gratuita. 

Essa proposta faz parte da Rede Nacional de Leitura mobilizada pela Fundação Dorina Nowill e já abrange todos os Estados brasileiros, reunindo diversas organizações e pessoas comprometidas em ampliar as oportunidades de acesso ao livro e a leitura para as pessoas com deficiência visual e demais deficiências. Conheça mais sobre essa oportunidade no canal colaborativo da rede: www.redeleiturainclusiva.org.br.

dinora 3

 

Programação:

Manhã

08h00-08h30: Credenciamento
08h30-09h00: Abertura e Apresentação Artística
09h00-09h30: Lei Brasileira de Inclusão e o acesso ao livro
09h30-10h00: Livro e Leitura com a escritora Elizete Lisboa

Intervalo

10h30 11h00: Acessibilidade Audiovisual
11h00-11h30: Tecnologias Assistivas
11h30- 12h00: Diálogo com participantes

Fechamento manhã com Contação de Histórias

Tarde –

13h10 – 13h30: Exibição de filme curta-metragem com audiodescrição

Rodízio nos mini cursos de:

13h30 – 15h00: Turma I – Educando para a inclusão – como ajudar uma criança a se tornar leitora/Roda de Leitura Inclusiva

intervalo

15h30 – 17h00: Turma II – Educando para a inclusão – como ajudar uma criança a se tornar leitora/ Roda de Leitura Inclusiva
Local: Biblioteca Nacional de Brasília – Auditório /s/n – Esplanada dos Ministérios 2, Brasília – DF, 70070-150
Telefone:(61) 3325-6237

Publico Alvo:   Profissionais que atuam com  livro/ leitura ( educadores, brincantes, bibliotecários,  contadores de histórias,  demais interessados que atuam com inclusão de PNEs)

 

A inscrição deve ser feita pelo endereço eletrônico:

 

https://docs.google.com/forms/d/1Txz48kaSSh9dqPKn0nRR2fe-zEI6nsAGFH-zt_Zw-rQ/viewform

 

 

 

 

Programações inclusivas no Circuito de Feiras -COLUNA “LEITURAS INCLUSIVAS”

IMG_20160322_160204227[1].jpg

  *Dinorá Couto Cançado

Destaque para várias ações inclusivas contidas na programação do circuito, com ações propostas pela Biblioteca Braille Dorina Nowill  em  Taguatinga, tanto no espaço montado para a Feira, como dentro da própria Biblioteca Braille.IMG_20160322_160600299[1] (1).jpg

Biblioteca Pública Machado de Assis distribui cronograma de suas ricas atividades na Feira.

No próximo dia 28/3/16, encontro com Perla Assunção, da Fundação Dorina Nowill/SP, para organização de um Simpósio a ocorrer em maio, sob a coordenação da Secretaria de Cultura do DF. Oficina de leitura inclusiva, com Perla Assunção, na Feira do Livro de Ceilândia, dia 29, 14 h.

 

O chamativo para as reuniões do dia 22/03/16:

 

1 )   14h15

 

Pauta – Rede Inclusiva de Leitura ( Fundação Dorina Nowill)

Local: Teatro Nacional  (Sala Pompeu de Souza – ao lado do FAC )

O Acesso é  pela  VIA N2

Coordenação: Graça Pimentel

 

 

2 )   15h30

 

Pauta –  Circuito de Feira do Livro 

Local: Teatro Nacional  (Sala Pompeu de Souza – ao lado do FAC)

O Acesso é  pela  VIA N2

Coordenação:  Guilherme Reis (Secretário de Cultura)

 

 

Alguns momentos já antecipados da rica programação

 

 

Atividades da autora sindicalizada, colaboradora da coluna Leituras inclusivas,  no Circuito de Feiras:

 

DATA/ HORARIO/ LOCAL/ EVENTO

30 de março 2016 / 9h às 9h45/ Taguatinga/ Escritora:  apresentação da trilogia Receita Saudável

31 de março de 2016/ 14h às 14h45/  Taguatinga/ Escritora: Mostra 50 projetos mapeados em Brasília, capital das leituras e apresentação da trilogia Receita Saudável

5 de abril de 2016/ 11h às 11h45/ Guará /Escritora: apresentação da trilogia Receita Saudável e  A arte de ler e criar

8 de abril de 2016 10h às 10h45/ Núcleo Bandeirante/Mediação de leitura: Brincando de Biblioteca com Programa Literário

11 de abril de 2016 11h às 11h45/ Gama/ Mediação de leitura: Brincando de Biblioteca com Programa Literário

27 de abril de 2016/14h às 16h/ Planaltina/ Oficina: A arte de ler e criar

 

Atividades do coletivo Amigos do Braille na Feira de Taguatinga

30 de março de 2016/14 h às 14h45 – Eliane Ferreira – Contação de histórias

30 de mar                                       15 h às 15h45 – Válter Júnior – Lançamento de livro e entrega de exemplar em Braille à Biblioteca Braille Dorina Nowill

31 de março de 2016 – 14 h às 14h45 – Ivan Braga – Brincando de fazer poesia

1 de abril de 2016 – 16 h às 16h45 – Noeme Rocha – Teatro infantil em ação.

 

PROGRAMAÇÃO NA BIBLIOTECA PÚBLICA DE TAGUATINGA – MACHADO DE ASSIS

DURANTE TODO O DIA, NOS TRÊS DIAS:

 

  • Visita guiada pela biblioteca;
  • Oficinas pontuais:

A arte de fazer – brinquedos/origami

Professora Lucia Lelis

  • oficinas musicais: Brapo

 

  • Exposições :

       Esculturas em metal – Branco

              Trabalhos em serigrafia – Natinho

Trabalhos artesanais (ex alunos das oficinas da biblioteca)

Poesia pontual ( Margô Olivieira)

 

                              E muito mais…participem!

 

Atividades realizadas na Biblioteca Braille Dorina Nowill

 

 

 

Dia 30 de março

 

 

Dia 31 de março

 

 

1º de abril de 2016

 

9h – abertura; e visitação permanente

Abertura da exposição do Ponto de Leitura, Áudiolivros e Filmes em Braille

Maria Ildérica Morais Martins

Público: Todos

9h – abertura; e visitação permanente

Abertura da exposição do Ponto de Leitura, Áudiolivros e Filmes em Braille

Maria Ildérica Morais Martins

Público: Todos

9h – abertura; e visitação permanente

Abertura da exposição do Ponto de Leitura, Áudiolivros e Filmes em Braille

Maria Ildérica Morais Martins

Público: Todos

10h às 10h45

Apresentação do escritor Valter Junior de Melo

Livro: O que pode dar esperança, impresso em tinta Braille

Público: Todos

10h às 10h45

Apresentação do escritor Valter Junior de Melo

Livro: O que pode dar esperança, impresso em tinta Braille

Público: Todos

10h às 10h45

Apresentação do escritor Valter Junior de Melo

Livro: O que pode dar esperança, impresso em tinta Braille

Público: Todos

 

10h às 10h45h

Bate papo sobre literatura em áudio

Mediadora: Katilene Alves Brito

Audiolivro: A teoria divina

Público: Adolescentes e adultos

15h abertura e disponibilidade por todo o dia

Dicas de leitura no telecentro – sessão de audição de bons livros literários, seguido de debate, empréstimos

Dinorá Couto Cançado

Público: Todos

 

 

15h abertura e disponibilidade por todo o dia

Dicas de leitura no telecentro – sessão de audição de bons livros literários, seguido de debate, empréstimos

Dinorá Couto Cançado

Público: Todos

 

15h às 17h

Audiodescrever para incluir – oficina e palestra para audiodescrição de filmes (cenas mudas, paisagens e ações sem fala)

Palestrante: Leonilde Maria Sombra de Moreira Fontes

15 às 17h – exposição e atendimento individual

50 projetos mapeados em Brasília, capital das leituras: mostra de ações bem-sucedidas da cidade

Dinorá Couto Cançado

15 às 17h – exposição e atendimento individual

50 projetos mapeados em Brasília, capital das leituras: mostra de ações bem-sucedidas da cidade

Dinorá Couto Cançado

 

*Dinorá Couto Cançado é agente cultural em literatura, gestão, pesquisa, capacitação e produção cultural. Autora de livros infantis, membro-fundadora da Biblioteca Braille Dorina Nowill, especialista em inclusão.

Contatos: (61) 99701366

E-mail: dinoracouto@gmail.com

www.facebook.com/dinoracouto.cancado

8º Prêmio VIVALEITURA – COLUNA “LEITURAS INCLUSIVAS”

Grupo Braille no dia do Escritor

 

 

*Dinorá Couto Cançado

8º Prêmio VIVALEITURA

Estão abertas as inscrições para mais uma edição do Prêmio Viva Leitura. Por duas vezes, o Projeto Luz & Autor em Braille já foi finalista do Prêmio Viva Leitura. A Biblioteca Braille Dorina Nowill já passou por essa emoção, em 2007 e 2012.

De acordo com o regulamento, a União, por intermédio do Ministério da Cultura torna público o processo seletivo referente à 8ª Edição do “Prêmio VIVALEITURA”. O Prêmio VIVALEITURA foi criado em 2006, como desdobramento do Ano Ibero-americano da Leitura. Ele é uma ação conjunta do Ministério da Cultura e do Ministério da Educação e integra o Plano Nacional de Livro e Leitura – PNLL. O Prêmio VIVALEITURA tem por objetivo estimular, fomentar e reconhecer as boas práticas de leitura provenientes de todo o país em quatro categorias, a saber: Biblioteca Viva, Escola promotora de leitura, Territórios da leitura e Cidadão promotor de leitura.

SAMSUNG CAMERA PICTURES
SAMSUNG CAMERA PICTURES

. O Prêmio VIVALEITURA tem caráter exclusivamente cultural e não se vincula a nenhuma modalidade de sorteio ou a qualquer exigência de pagamento pelos concorrentes, tampouco está condicionado à aquisição ou ao uso de quaisquer bens, direitos ou serviços.
Podem concorrer gratuitamente responsáveis por projetos de todo o Brasil nas seguintes categorias:
1- Categoria 1: BIBLIOTECA VIVA
1.1. Podem participar nesta categoria as Bibliotecas públicas e comunitárias.
1.2. Nessa categoria é possível inscrever experiências desenvolvidas em bibliotecas, como por exemplo: ações de circulação de acervos, de captação de novos usuários, de rodas e clubes de leitura, de cineclubes, de mediação de leitura, de mobilização da sociedade, de programas de rádio e TV, ações na internet, entre outras, realizados em bibliotecas públicas e comunitárias.
1.3. Os projetos desta categoria devem ser inscritos por um de seus responsáveis (coordenadores, funcionários, voluntários da biblioteca). Os proponentes responsabilizam-se pela anuência dos demais envolvidos na experiência conforme ANEXO I

1.4. As ações de bibliotecas escolares devem ser inscritas na Categoria 2.
2 Categoria 2: ESCOLA PROMOTORA DE LEITURA
2.1. Podem participar nestas categorias escolas públicas.
2.2. Nessa categoria podem participar escolas que realizem experiências significativas e criativas de promoção da leitura em diferentes suportes e meios, tais como gincanas de leitura, clubes e rodas de leitura, ações sociais de promoção da leitura voltadas para a comunidade escolar e de seu entorno, intercâmbios de leitura entre escolas e outras instituições sociais ou grupos de promoção da leitura, conversas com autores, projetos de contação de histórias, entre outras ações. Os projetos podem ser representativos de toda a escola, de apenas uma sala de aula, de uma turma, ou da biblioteca escolar.
2.3. Os projetos desta categoria podem ser inscritos por funcionários e profissionais da educação que atuem na escola participante. Os proponentes responsabilizam-se pela anuência dos demais envolvidos na experiência conforme ANEXO I.

  1. Categoria 3: TERRITÓRIOS DA LEITURA
    3.1. Concorrem nesta categoria os projetos de leitura desenvolvidos por entidades da sociedade civil, realizados em contextos e espaços diversos (excetuando-se as bibliotecas e escolas) tais como estações, pontos de ônibus, aeroportos, hospitais, presídios, entre outros espaços não formais de leitura.
    3.2. Podem inscrever projetos nesta categoria profissionais ou voluntários vinculados a ONGs, instituições de educação superior, instituições sociais e empresas públicas e privadas. Os proponentes responsabilizam-se pela anuência dos demais envolvidos na experiência conforme ANEXO I.
  2. Categoria 4: CIDADÃO PROMOTOR DE LEITURA (Pessoa Física):
    4.1. Nesta categoria podem concorrer projetos de Pessoas Físicas que se dediquem à promoção da leitura por iniciativa pessoal, sem personalidade jurídica própria formalizada, ou seja, sem ter constituído ou envolvido um CNPJ – Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica.
    4.2. Os projetos desta categoria devem ser inscritos pelo idealizador ou coordenador da ação que responsabiliza-se pela anuência de eventuais terceiros envolvidos na experiência conforme ANEXO I.
    4.3. Caso a iniciativa seja promovida por um coletivo, este deve eleger um representante que será responsável pela inscrição em nome do grupo.

4.4. Projetos inscritos nesta categoria, mas realizados em bibliotecas públicas (categoria 1) e escolas públicas (categoria 2) serão remetidos pela Comissão de Seleção para concorrer nas categorias específicas.

.As inscrições são gratuitas e serão feitas exclusivamente pela internet no site http://www.premiovivaleitura.org.br, a partir das 00:00h, do dia 29 de janeiro de 2016 até as 23:59h, do dia 13 de março de 2016.
Só serão aceitos os trabalhos com formulário preenchido, contendo a documentação completa e enviados dentro do prazo de inscrição.
Podem ser inscritos projetos realizados e concluídos no período de janeiro de 2014 a dezembro de 2015, bem como aqueles iniciados antes de 2014 que possam ser comprovados e que estejam em curso no ato de inscrição. Experiências de caráter permanente deverão apresentar indicadores de resultados.
Só farão parte do processo de seleção os projetos que estão em andamento ou que foram concluídos nos prazos estabelecidos acima.

Maiores informações poderão ser obtidas através do e-mail e no site do prêmio

premiovivaleitura@oei.org.br

http://www.premiovivaleitura.org.br

*Dinorá Couto Cançado é agente cultural em literatura, gestão, pesquisa, capacitação e produção cultural. Autora de livros infantis, membro-fundadora da Biblioteca Braille Dorina Nowill, especialista em inclusão.

Contatos: (61) 99701366

E-mail: dinoracouto@gmail.com

www.facebook.com/dinoracouto.cancado

 

 

 

 

 

Seminário de Acessibilidade Cultural para produtores – COLUNA “LEITURAS INCLUSIVAS”

 

.Seminario acessbilidade (1)

*Dinorá Couto Cançado

Seminário de Acessibilidade Cultural para produtores

Divulgado pelo site da Secretaria de Estado de Cultura, que é a instituição executora desse importante seminário, os preparativos já contam com ensaios de deficientes visuais, no próprio museu onde será realizado o seminário, para interagir com os produtores de cultura. Quatro funcionários da Biblioteca já estão inscritos e, dentre eles, Noeme Rocha que, a convite da ABDV – Associação brasiliense de deficientes visuais, compareceu ao ensaio no museu, em 22/02/16, recebendo orientações quanto ao evento.

Noeme Rocha (2)
Noeme Rocha

O evento para realizadores de cultura do DF vai tirar dúvidas e proporcionar vivências. Imagine a seguinte situação: você é cego e precisa tocar uma escultura para compreendê-la, porém, você não pode tocá-la, pois a exposição não permite. Como seria sua relação com a arte, tendo em vista que a maioria das exposições são assim? Pensando nesses limites para as pessoas com deficiência e nas dificuldades que muitas/os produtoras/es encontram de tornar seus eventos acessíveis, a Secretaria de Cultura, por meio da Subsecretaria de Cidadania e Diversidade Cultural, realizará, no dia 2 de março, a partir das 9h, no Auditório do Museu Nacional da República, o Seminário de Acessibilidade Cultural para Produtoras/es.

Voltado para produtoras/es e realizadoras/es de atividades culturais do Distrito Federal, o seminário tem por objetivo apresentar as normas de Acessibilidade aplicadas à Cultura, explicar a Lei Brasileira de Inclusão e o seu impacto nas produções culturais do DF, bem como oferecer um panorama a respeito de Acessibilidade, Acessibilidade Cultural, Arte Inclusiva e assuntos relativos.

Esta é uma demanda que já vem sendo apresentada pelo segmento há um tempo e que dá continuidade a uma série de ações anteriores da Secretaria. A primeira edição do Seminário foi oferecida internamente, para todas as Subsecretarias. Depois, foi a vez das/os Gestoras/es de Cultura das Regiões Administrativas participarem e agora é preciso expandir ao público externo.

As/os interessadas/os devem se inscrever pelo e-mail: acessibilidadeculturaldf@gmail.com, escrevendo no assunto “Seminário de Acessibilidade Cultural para Produtoras/es”. Na mensagem, basta enviar as seguintes informações: nome completo, telefone, e-mail, produtora ou coletivo de que faz parte e contatos desta produtora. Serão disponibilizadas 85 vagas.

Serviço

Seminário de Acessibilidade Cultural para Produtoras/es

Quando: 2 de março de 2016, das 9h às 18h (com uma hora de intervalo para almoço)

Onde: Auditório do Museu Nacional da República

Inscrições: acessibilidadeculturaldf@gmail.com

Mais informações: Subsecretaria de Cidadania e Diversidade Cultural – (61) 3327-5940 / (61) 3325-6267

Programação

9h – Abertura e Coffee Break – Primeira Dama Marcia Rollemberg; Secretário de Cultura Guilherme Reis; Secretário Nacional da Pessoa com Deficiência Antonio José Ferreira; Coordenadora do Programa de Inclusão de Pessoas com Deficiência na Presidência da República Anna Paula Feminella; Coordenador da Coordenação de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência Antonio Paulo Beck; Presidente da Associação Brasiliense de Deficientes Visuais Flávio Luis.

9h30 – Vivência – A Cegueira e o Atendimento à Pessoa com Deficiência Visual nos Espaços Culturais – Associação Brasiliense de Deficientes Visuais – ABDV

10h – Tema Central – A Nova Lei Brasileira de Inclusão e suas Implicações no Provimento de Acessibilidade em Eventos Culturais – Babi Barbosa, Gerente de Inclusão e Acessibilidade da Secretaria de Cultura

11h – O que é Acessibilidade, Acessibilidade Cultural e suas diferenças – Alê Capone, Produtora Cultural

12h – Intervalo para Almoço

13h – O que é Arte Inclusiva e quem são seus integrantes – Profa. Renata Rezende, Instituto Federal de Brasília (IFB)

14h – Quais são as normas de Acessibilidade para Eventos Culturais exigidas pela legislação do Distrito Federal – Sandro Roberto Farias, AGEFIS

15h – Quais são os direitos das Pessoas com Deficiência em shows e eventos culturais – Antonio Paulo Beck, Coordenador da Coordenação de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência – PROMODEF

16h – Coffee Break

16h10 – A Legislação que Regulamenta a Meia Entrada: Suas Normas e Implicações – Carlos Alberto Gonçalves Guimarães, Presidente do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência – CODDEDE

17h – Produtos Acessíveis: Benefícios para a Mobilização do Público e a Sua Prestação de Contas – Mary Land Brito, Coordenadora-Geral da Secretaria Nacional da Pessoa com Deficiência.

 

 

 

Projeto de incentivo à leitura “Viajando no mundo das histórias”- Coluna “Leituras Inclusivas”

IMG_20160126_111247285[1]

*Dinorá Couto Cançado

Projeto de incentivo à leitura “Viajando no mundo das histórias”

A proposta acontece por meio da ação – Dialogando com escritoras – que leva às escolas encontros, oficinas, mostras, palestras, sessão de autógrafos, contação de histórias, recitais e algo mais que a escola propor visando estimular o gosto pela leitura e escrita de forma lúdica e agradável. As autoras, especialistas em inclusão, experts na arte de ler e criar, já com um trabalho diferenciado em Brasília, agora, juntas, com alegria e animação em toda a rede escolar.

As três autoras sindicalizadas tiveram seus primeiros encontros de trabalho na Biblioteca Braille Dorina Nowill, firmando algumas parcerias fundamentais nesse trabalho, como a do consultor de literatura da Saraiva Educação João Batista Marinho de Carvalho.

IMG_20160127_102907990[1]

Na Biblioteca, recepcionadas pela coordenadora Leonilde Fontes já combinaram sobre a transcrição de seus livros em Braille e conheceram o jovem leitor deficiente visual Giovane interessado em ler as obras de Lair Franca.

IMG_20160126_112558016[1]

Alguns dados biográficos, contatos, obras e resenha das obras das autoras responsáveis pelo projeto:

 

DINORÁ COUTO CANÇADO: Professora, pedagoga, agente cultural em literatura, gestão, pesquisa, capacitação e produção. Palestrante, mediadora de leituras, com reconhecimentos nacionais e internacionais. Contatos: 99701366

E-mail: dinoracouto@gmail.com

www.facebook.com/dinoracouto.cancado

paçoca                                                                                                                                                                                            PAÇOCA DE AVÔ: a história de um avô carinhoso que tenta despertar o apetite da neta, por meio da culinária rica e tradicional brasileira/mineira. Aprende-se, também, como deve ser a alimentação saudável. Livro 1 de 3, da série Receita Saudável, com saborosa receita, ao final.

 

 

 

A_pipa_que_tomou_banho (1)                                                                                                                                                                                          A PIPA QUE TOMOU BANHO: conta a celebração do recebimento de algo que encantou Marquito. Um presente da tia, a vontade de brincar, uma tarde de chuva e as refeições, em família, viram asas que dão o perfeito estímulo à criatividade e curiosidade do menino.

 

 

travessura                                                                                                                                                                                                              TRAVESSURAS: Dinho é o protagonista da história que mostra o envolvimento harmonioso de três gerações de uma família, que se reúne nos finais de semana, ficando claro que o cuidado em fazer da familiar é um constante aprendizado.

 

 

GACY SIMAS: Educadora, filósofa e agente Cultural. Tem 21 livros publicados em português e alguns traduzidos para o espanhol. Tradutora, palestrante e contadora de histórias.

Contatos: 8277-3117

E-mail: edylsia@gmail.com

www.facebook.com/gacy.simas

guaçu                                                                                                                                                            GUAÇU E GUARÁ: Aprenda mais sobre o ecossistema do Cerrado e sobre os animais vulneráveis ou em extinção, com as primeiras aventuras dos lobinhos Guaçu e Guará, sem a presença dos pais.

 

 

 

monstro do mar                                                            O MONSTRO DO MAR: A história fala da necessidade de termos cuidado com o nosso planeta. Um menino conversa com a mãe, enquanto ajuda nas tarefas de casa. Durante a conversa falam sobre reciclagem, consumo consciente, mostrando que pequenas ações podem trazer uma grande resposta se as pessoas se unirem.

 

 

LAIR FANCA: Pedagoga, escritora e contadora de histórias. Autora de vários projetos de incentivo à leitura. Contatos: 8324-3815

Contato: lairfranca@gmail.com

www.facebook.com/lair.franca

o-ciclismo-realizando-sonhos-lair-franca-854090229x_200x200-PU6e832bf5_1                                                                                                                                                                                                                                                                                  O CICLISMO REALIZANDO SONHOS: Arthur tem um sonho: ser um ciclista profissional. De forma leve, a história aborda várias questões que envolvem o esporte, desde o apoio da família, a disciplina e a necessidade de querer vencer. Será que Arthur irá conseguir?

 

 

Lentes                                                                                                                                                                                                                             LENTES MÁGICAS: a história mostra a dificuldade que a criança tem em aceitar o uso dos óculos, como também o bullying sofrido por ela na escola. Mostra também a interferência e a importância do papel do professor nesse momento.

ESTREIA DA COLUNA “LEITURAS INCLUSIVAS”

foto para Coluna Leituras inclusivas (1)

Hoje, estreia a Coluna “Leituras inclusivas”, de nossa sindicalizada Dinorá Couto Cançado,  matricula 185.
A coluna trará notas sobre divulgação de livros, leituras, bibliotecas e eventos que incluem pessoas com deficiência visual, por meio de leituras que promovem a inclusão social. A periodicidade será quinzenal.
Dinorá Couto Cançado é agente cultural em literatura, gestão, pesquisa, capacitação e produção cultural. Autora de livros infantis, membro-fundadora da Biblioteca Braille Dorina Nowill, especialista em inclusão.
Dicas de leitura nas férias
Pelo 9º ano consecutivo as férias dos alunos das redes públicas/ particulares e outros interessados contam com dicas de bons livros, lidos/apreciados pela consultora literária Dinorá Couto Cançado. Um quadro idealizado por Luiza Inez Vilela, no Programa Cotidiano da Rádio Nacional (AM 980). Toda quarta-feira, às 14h40, com 3 belas dicas, sendo uma delas de autor (a) brasiliense. A maioria dos livros faz parte do acervo da Biblioteca Braille Dorina Nowill, onde Dinorá atua como educadora voluntária, desde a sua fundação, ocorrida em 1995. O público-alvo dessa Biblioteca, o deficiente visual, adora ouvir rádio e à medida que se interessa pelas obras citadas nas dicas, elas são transcritas em Braille, gravadas e/ou lidas nas rodas de leituras que ocorrem na Biblioteca, sediada na CNB 01, Área Especial, Taguatinga, Distrito Federal.
As 3 dicas que encantaram os ouvintes foram: Com essa eu não contava, de Raimundo Gadelha, com ilustrações do alagoano Bruno Gomes; Só um minutinho – um conto de esperteza num livro de contar, da autora/ilustradora Iuyi Morales, traduzido por Ana Maria Machado; Pesadelos, sonhos e contos de Clotilde Chaparro. O livro de Clotilde já está na fila para a transcrição em Braille e o da mexicana Iuyi Morales ilustrou o Diálogo Brasil México ocorrido na Biblioteca Braille.

 

Houve grande interesse da professora Gina Vieira pela 1ª dica: Quem perde a voz, perde a vez, com texto e ilustração de Maurício Veneza; a 2ª dica foi a estreia de Nisa Caram na literatura, com o título A vovó e o palhaço, com ilustrações de Marcelo Campos. Este livro foi dramatizado no Encontro da Diversidade, iniciativa da EAPE – Escola dos Profissionais da Educação, da Secretaria de Educação do Distrito Federal; a obra tem por temática a construção e desconstrução do preconceito. Já a 3ª dica foi da autora brasiliense Maria Salete Costa Moreira com o livro O brilho da estrelinha, já transcrito em Braille e com ilustrações adaptadas para que os deficientes visuais sintam com os dedos o formato das estrelinhas, da lua e demais desenhos dessa bela obra que trata das diferenças.

As dicas continuam até o final das férias, depois traremos mais 3 dicas-surpresas.