Dia para comemorar ou chorar? Aniversário de fundação da Biblioteca Demonstrativa de Brasília

BDB

A BDB originou-se no Serviço Nacional de Bibliotecas (SNB). Antes era uma pequena biblioteca situada na galeria do Hotel Nacional de Brasília,  que acabou sendo  incorporada, em 1969, ao Instituto Nacional do Livro. Em 20 de novembro de 1970, foi inaugurada sob o título de “Biblioteca Demonstrativa do INL”. Em 2012, após o falecimento da saudosa diretora e bibliotecária da instituição,  Maria da Conceição Moreira Salles, que tanto fez por aquele espaço mágico e, consequentemente, pela  cidades,  a Biblioteca Demonstrativa de Brasília passou a chamar-se “Biblioteca Demonstrativa Maria da Conceição Moreira Salles”.  Hoje, a BDB completa 49 anos! Mas não temos ainda o que comemorar.

O espaço continua fechado. E aos trancos e barrancos, em meio ao processos eternos de licitação, a tão esperada reforma vai saindo… O departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB), da Secretaria de Cultura (agora no ministério do Turismo) conseguiu empenhar os móveis, fazer um aditivo para que a empresa contratada possa concluir o serviço da reforma. Enfim….

Como presidente do Sindicatos dos Escritores do DF, estive com vários ministros da Cultura, protocolizamos ofício após ofício pedindo explicações e exigindo que a Biblioteca nos seja devolvida. Há entendimentos entre o governo federal e a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF (SECEC), para que a Biblioteca tão logo seja inaugurada (a última previsão era 30 de outubro deste ano,  seja assumida pela SECEC… Contudo, será que esse secretário de cultura do DF dá conta de honrar o que assume? Ele parece ter desprezo pela área do livro…  (Clique Aqui e veja  vídeo no qual Adão Cândido confirma publicamente a parceria: Biblioteca Demonstrativa – Parceria entre Governo Federal e Secretaria de Cultura do DF)

Quanto ao DLLB, conta hoje com uma brava diretora interina, Ana Cristina Araruna, que tenta algo fazer, apesar da falta de recursos e de definições da pasta, jogada de lá para cá e que só recentemente nomeou o Secretário de Economia Criativa. Ah, a secretaria dele que ficou meses sem um titular  A Secretaria da Economia Criativa possui em sua estrutura duas unidades finalísticas: o Departamento de Empreendedorismo Cultural e o Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas… Pois é…

Hoje é 20 de novembro. Amanhã, protocolizarei novo ofício solicitando informações sobre a reinauguração de nossa Biblioteca Demonstrativa. Podem até querer que caia no esquecimento, mas isso não acontecerá. As Biblioteca são templos vivos de iluminação cultural, de sonhos e de construção de novas perspectivas de vida. É assim em Portugal, em Londres, no Japão e terá continuar sendo assim aqui também!

Viva a Biblioteca Demonstrativa Maria da Conceição Moreira Salles!!!

Em tempo, um pouco de *memória:

Com a extinção do Instituto Nacional do Livro em 1990, o espaço foi denominado “Biblioteca Demonstrativa de Brasília”. Foi vinculado, a partir de então, à Fundação Biblioteca Nacional, pessoa jurídica ligada ao Ministério da Cultura, sediada no Rio de Janeiro.

Desde 1º de setembro de 2014, a BDB desvinculou-se administrativamente da Fundação Biblioteca Nacional. Subordina-se, atualmente, ao Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas da Secretaria Especial de Cultura, subordinada ao ministério do Turismo. Desse modo, constitui agora um órgão da Administração Direta Federal.

Em maio de 2014, a Biblioteca Demonstrativa de Brasília foi interditada pela Defesa Civil do Distrito Federal, em razão das condições físicas precárias que apresentava na ocasião. Um dos principais fatos que ensejaram o fechamento da Biblioteca foi o risco de queda da marquise na entrada principal, mas a instituição já contava, à época, com numerosos problemas em suas instalações.

*Com informações da Wikipedia

Marcos Linhares

Presidente do Sindicato dos Escritores do DF

Porta voz do Fórum do Livro e da Leitura do DF

 

 

 

Manifesto contra o desmonte em curso da área do livro, da leitura e bibliotecas, e consequentemente, do possível fechamento/desvirtuamento da Biblioteca Nacional de Brasília com o uso de espaço (já em curso) para receber espaços administrativos do DF. Tudo, de certa forma, evidenciado ainda mais com a exoneração da diretora da Biblioteca Nacional e do  Subsecretário do Patrimônio Cultural (SUPAC) da Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa do DF (SECEC)

Captura de Tela 2019-11-12 às 14.05.24

Manifesto contra o desmonte em curso da área do livro, da leitura e bibliotecas, e consequentemente, do possível fechamento/desvirtuamento da Biblioteca Nacional de Brasília com o uso de espaço (já em curso) para receber espaços administrativos do DF. Tudo, de certa forma, evidenciado ainda mais com a exoneração da diretora da Biblioteca Nacional e do  Subsecretário do Patrimônio Cultural (SUPAC) da Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa do DF (SECEC)

 

Qual a importância do livro, da leitura e das bibliotecas em nossas vidas? E para o Distrito Federal, que deveria (pelo menos em tese) servir de modelo às outras unidades da federação? Num momento crítico em que proliferam os analfabetos funcionais (os que não consegue decodificar o que leem) e, ainda, no qual somos submetidos diariamente a um enxame de versões dos fatos causadas pelas ditas “fake news”, que levam a terríveis consequências, como por exemplo, os baixos índices de vacinação no país e no DF, temos visto com crescente temor o desmonte em curso da área do livro, da leitura e bibliotecas, e consequentemente, do possível fechamento/desvirtuamento da Biblioteca Nacional de Brasília com o uso de espaço (já em curso) para receber espaços administrativos do DF.

 

Temos tentado, sem êxito,  obter respostas de Adão Cândido, que está Secretário de Estado de Cultura do Distrito Federal (cargo de confiança). Com a exoneração publicada no Diário Oficial do Distrito Federal, na sexta-feira passada (08/11), do então Subsecretário do Patrimônio Cultural, Cristian Brayner, e da então diretora da Biblioteca Nacional de Brasília, Marmenha do Rosário, algumas possíveis respostas podem ter começado a vir à tona.

 

O Governo do Distrito Federal (GDF) deu as costas à área do Livro, da Leitura e Bibliotecas. Esse abandono vem sendo feito governo após governo e, no atual, achou alguém aparentemente contrário à área. Pelo menos é que nos levam a crer a ações tomadas e não tomadas até aqui (falo em prioridades) pelo atual ocupante da pasta.

 

Há um dizer jornalístico que postula: uma série de coincidências começa a virar evidência…

 

Vamos aos fatos e a necessárias perguntas (perguntar ofende?):

12-11- Manifesto contra o desmonte da área do livro