Sindicalizadas participam de Coletânea em matéria do Correio Braziliense publicada em 04/10/2017

Captura de Tela 2017-10-08 às 20.23.26

Organizado por Cinthia Kriemler e tendo Beatriz Leal como uma das autoras participantes, a coletânea Novena para Pecar em Paz foi divulgada no Correio Braziliense.  Trecho da matéria:

“A escrita forte de nove autoras brasilienses se encontra na coletânea Novena para pecar em paz, que reúne nove contos sobre mulheres em seus mais variados estilos e espaços de liberdade. A obra, organizada por Cinthia Kriemler e publicada pela editora Penalux, reúne nomes importantes da literatura da capital e mostra que a escrita feita por mulheres tem espaço de fala permanente. Entre as páginas, mulheres diversas refletem as individualidades de seu tempo e suas particularidades atemporais. A ideia é romper o padrão da mulher como indivíduo de uma única forma e performance e mostrar suas amplas nuanças e possibilidades.

Para Cinthia, toda essa versatilidade esteve escondida, camuflada, despersonalizada, e o objetivo é trazê-las à tona através de autoras de diferentes idades, orientações e trajetórias. Para essas escritoras, pertencer a um gênero, a um determinado grupo, não significa ser estática e invariável. “E não significa que algumas características devam ser aceitas enquanto outras devem ser reprimidas”, destaca a organizadora. O livro reúne contos de: Beatriz Leal Craveiro, Cinthia Kriemler, Lisa Alves, Lívia Milanez, Maria Amélia Elói, Mariana Carpanezzi, Patrícia Colmenero, Paulliny Gualberto Tort e Rosângela Vieira Rocha.
Na antologia, a busca é pelo diálogo com todos os leitores, de qualquer idade e gênero, que esteja disposto a conhecer mais sobre as realidades do feminino de maneira multiplicada, rica, importante. “Diálogo é uma palavra linda. Sua efetiva aplicação é ainda mais linda. Procura-se um leitor que esteja disposto a perceber, entender e ser parceiro de um momento de mudanças que está sendo promovido pelo feminino”, afirma Cinthia. Nesse momento, estão todas as mulheres heterossexuais, homossexuais, transexuais, travestis, novas, velhas, solteiras e casadas.”
Leia a matéria na íntegra:

 

 

Anúncios

Sindicalizada Noélia Ribeiro em matéria do Correio Braziliense publicada em 03/10/2017

Captura de Tela 2017-10-08 às 17.32.43

Trecho da matéria:

“Em 2009, Noélia Ribeiro lançava Atarantada, primeiro livro da trilogia que seguiu comEscalafobética em 2015, e encerra nesta terça (3/10), com Espevitada. Em seus poemas, a autora busca dialogar com o próprio cotidiano de maneira simples, tornando a leitura possível a todos aqueles em busca do sentimento poético que acompanha os dias. O primeiro livro do projeto mostra uma poeta mais sentimental e em plena inspiração amorosa. No segundo, Noélia revela uma faceta mais melancólica e sombria, resultado da transição de vida entre a moça dos primeiros versos e a mulher escritora. No último da trilogia, se destaca um apetite maior por desbravar novos temas, que mostram a junção de amor, política, infância, saudades, memórias, pessoas e lugares.

O lançamento no Beirute ocorre com a participação do grupo Liga Tripa, que faz a trilha sonora e desperta em Noélia uma sensação de saudade e celebração. “Eu frequentava o Beirute desde novinha, morei na 109 Norte e o Liga Tripa tocou lá por muitos anos. É como relembrar um tempo maravilhoso e cheio de efervescência cultural em Brasília”, conta a autora. O lançamento do primeiro livro foi no extinto Café da Rua 8, e o segundo, no Martinica, outros pontos reconhecidos pela boa atividade cultural na cidade.

Os poemas de Espevitada são todos atuais, criados ao longo dos últimos três anos e Noélia conta que a maior mudança para sua escrita atual decorre  da quantidade de leituras e da inspiração entre as páginas de tantos autores que conheceu. Para o processo de escrita, brincar com as palavras continua sendo o ponto essencial, além da inspiração cotidiana. “Sou muito observadora e adoro me inspirar em gente. Muitas vezes escrevo a partir de alguma sensação que tive, algo que vivi ou observei no outro. Às vezes, a inspiração vem apenas de uma palavra interessante, que ganha vida no papel”, conta a poeta.

 

Leia a matéria na íntegra:

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-arte/2017/10/03/interna_diversao_arte,630844/lancamento-de-livro-de-noelia-ribeiro.shtmlhttp://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-arte/2017/10/03/interna_diversao_arte,630844/lancamento-de-livro-de-noelia-ribeiro.shtml

 

 

 

 

 

Ponto de vista 2- Coluna Quadrinhos

ponto de vista2

Verônica Saiki é artista plástica e designer gráfico editorial, já participou de diversos salões e exposições envolvendo ilustração e escultura, dentre as mais recentes estão: “84 vezes Silvio Santos” e “Novelas da Globo – Homenagem dos cartunistas brasileiros” ambas em SP. Como quadrinista possui os trabalhos autorais intitulado:Verdugo, o inacreditável, “Procurados” e “Boa Noite, Maria!”

Ponto de Vista – Coluna Quadrinhos

ponto de vista

Verônica Saiki é artista plástica e designer gráfico editorial, já participou de diversos salões e exposições envolvendo ilustração e escultura, dentre as mais recentes estão: “84 vezes Silvio Santos” e “Novelas da Globo – Homenagem dos cartunistas brasileiros” ambas em SP. Como quadrinista possui os trabalhos autorais intitulado:Verdugo, o inacreditável, “Procurados” e “Boa Noite, Maria!”

Programação (até agora) do Sindescritores na 3ª Feira do Livro da CLDF

WhatsApp Image 2017-09-26 at 09.35.04

Dia 3 – Terça
Manhã
9h – Palestra “Os animais do Cerrado” com o escritor Pedro Ivo Peres Santana
Público alvo- 5o ao 6o. ano 

Pedro Ivo Peres Santana é autor da série “O Cerrado na Escola”,que já lançou  11, dos 14 livros previstos, falando sobre os seguintes animais: Seriema, Tamanduá-Bandeira, Lobo Guará, Arara, Inhambu, Onça Pintada, Carcará, Tucano, Raposa, Jaó e Ema. Os próximos lançamentos serão Gavião-Carijó, Perdiz e Tatu. A publicação é voltada para a educação infantil e já adotada em algumas escolas.  Pedro Ivo foi agraciado com duas premiações do International Latino Book Awards.

A coleção é riquíssima para a educação infantil, inclusive propõe uma reflexão interdisciplinar, com perspectivas inovadoras, que facilita a compreensão do educando. Propõe ainda momentos de reflexão, descobertas, de leitura dinâmica, bem como um olhar para o cuidado com os animais, e, principalmente, a importância da conservação e preservação do bioma Cerrado como um todo. A coleção completa consta de livros sobre 14 animais ameaçados de extinção, seis frutas e mais cinco histórias do cerrado.

10h- Palestra sobre o livro  “Luz, Câmera, Repressão” com o escritor, historiador e jornalista Rodrigo Duhau – seguida de sessão de autógrafos 
 
Público alvo: Ensino Médio
 
No ano de 1964, os militares depuseram o presidente João Goulart do poder e assumiram o comando do país. Perpetuaram-se à frente da nação por 21 anos. Nesse período, a censura era um atributo do Estado, regulamentada por um arcabouço legal. O governo controlava, com olhos repressores, produções artísticas, entre elas o cinema. Tudo em nome da moral, dos bons costumes e da segurança nacional. Para os militares, havia, sim, uma “ameaça comunista” no Brasil e mensagens “subversivas”, segundo eles, eram veiculadas através das produções cinematográficas.

Rodrigo falará sobre o assunto, baseado na obra que escreveu, na qual estão presentes as memórias de personagens que viveram durante o regime militar e que tiveram seu cotidiano profissional influenciado pela censura de filmes. Um desses personagens é Maria Nilsa Soares da Silva Duhau, que trabalhou como representante das empresas produtoras de filmes e tinha suas próprias artimanhas para tentar “driblar” o cerceamento por parte do governo. Há depoimentos, ainda, de um cineasta, de dois censores e até de um economista que era contra o personagem Capitão Gay, interpretado por Jô Soares na década de 1980.

Rodrigo Duhau é servidor público desde 2005, atua como assessor de comunicação da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) há dez anos. Já trabalhou em dois jornais da cidade.

Tarde

16h – Palestra “A Amazônia e consequências da sua ocupação” com o escritor e jornalista Pedro César Batista- seguido de sessão de autógrafos do livro “Joao Batista – Mártir da Luta pela Reforma Agrária”

Público-Alvo: Ensino Médio

Pedro César Batista é autor de diversos livros dedicados às causas do povo, principalmente à Reforma Agrária. Sua trajetória tem a formação de ativista da linha de frente pela Justiça Social contra o excludente neoliberalismo. A mensagem de Pedro demonstra a capacidade de verdadeira união do povo contra as forças do Capital. Seu convívio com lideranças de esquerda vem de berço. O exemplo de moralidade de dona Isaura, sua amada mãe, é parte fundamental do caráter do escritor, pois a tenacidade em busca de objetivos e sua altivez em não se abalar diante das dificuldades são exemplos nobres que marcaram as almas dos filhos. O pai sofreu atentado. Pedro também foi vítima de atentados. Aos quinze anos de idade se atirava na vermelha bandeira do movimento estudantil. Daí em diante o país ganhou um guerreiro bom escritor. No livro, “JoãoBatista, Mártir da Luta pela Reforma Agrária”, o autor Pedro Batista nos enche de conhecimento e esperança, e nos conta bem contado, a história do Brasil que a grande mídia esconde. Seu querido irmão João Carlos Batista foi martirizado pelo latifúndio. Este líder campesino foi testemunha dos horrores da injustiça no campo. Isto o atiçou à luta. Optou pela área jurídica como instrumental usado nos embates.

Dia 4 – Quarta 

10h- Oficina de produção de texto com o escritor e professor Lincon Lacerda
 
Público alvo: 5o. ano 
 

Lincon Lacerda é poeta, letrista, contista, músico, compositor, fotógrafo, cyber artista, quadrinista, astrólogo, professor, pedagogo e psicopedagogo. Bibl.:Poematemática; Poema panfleto cinderela; Poema panfleto branca de neve; Sonetos pedagógicos; Palavra, lavra, livro; Brasília Clássica. Gibis: Digi, o tal e ana, a lógica; Cãodango e Cãolongo; Reminiscências do comendador bararau o diário de um idolescente; Camp e Vamp; Não, Júlia.

14h –  Palestra “Diagramação, técnicas de escrita e design de capas de livro” com o escritor Elias do Nascimento Melo Filho
 
Público alvo-  Ensino Médio, escritores, designers, e demais pessoas que querem produzir seu próprio livro
Elias do Nascimento Melo Filho é editor, Escritor e Músico é formado em Letras Português/Inglês pela União de Cursos Superiores COC de Ribeirão Preto com Especialização em Sistema Braille pelo Instituto Federal de Brasília. Estudante de Pedagogia pela Universidade Anhanguera, Música – habilitação em Violoncelo na Universidade de Brasília e Gestão Ambiental pelo Instituto Federal de Brasília. Atualmente, escreve três obras, uma técnico/ficção, um romance e um drama. Possui contos publicados por concursos do SESC do Distrito Federal. Atua como professor de Violino, Violoncelo e Linguagem Musical no Conservatório de Artes e Música de Brasília e em diversas escolas. É também pesquisador na área de Direito no Instituto Federal de Brasília e na área de Pedagogia Musical na Faculdade de Tecnologia e Negócios da Anhanguera de Brasília.
Dia 5 – Quinta
Manhã
9h – Palestra “A magia da poesia” com o  poeta e professor Antonio Costa Neto
Público – do 5o ao 9o ano
 Antonio Costa Neto é educador e poeta, autor de vários livros, dentre eles, “Poemas para os anjos da Terra”. Suas lembranças sensoriais afagam bichos, plantas, comidas e gente em todos os seus trejeitos – muito em especial a sua origem afro-brasileira – acomodando seus parentes, num terno mosaico familiar. Na obra, tias, avós, madrinhas, professoras, enfim,  o autor buscou em sua existência a universalização poética em com perfeita harmonia de realização.
Tarde
14h – “A história do Conto” com “Raul Ernesto Larrosa Ballesta”
Público alvo- Ensino Médio

Raúl Ernesto Larrosa Ballesta é contista e poeta bilíngüe espanhol e português.
Nasceu no Uruguai e vive em Brasília.

15h – Palestra “Minha vida com os quadrinhos- a experiência de Verônica Saiki”
Público-alvo: a partir do 5o. ano
Verônica Saiki é artista Plástica e pós-graduada em Design Gráfico e Editorial. Atuante em atividades diversas nos campos de suas formações com destaque para ilustração, escultura e quadrinhos. Autora de “Verdugo o inacreditável – Procurados” e “Boa Noite, Maria!”

Chamada para a catalogação das obras de escritores brasilienses  

LOGO

Brasília, 25 de setembro de 2017

Comunicado Geral 37/2017 
 
Assunto: Chamada para a catalogação das obras de escritores brasilienses  
 
Segundo a reunião que tivemos neste sábado, dia 23/09, estamos abrindo uma chamada para que os escritores de Brasília participem fornecendo dados de suas obras, para que possamos, além de traçar um perfil da LITERATURA BRASILIENSE, indicá-las nas escolas de Brasília, inclusive ao EJA. Para tanto, favor fornecer os seguintes dados (completos e em ordem). OBS: Obras que estejam com informações incompletas não participarão do processo! Enviar os dados abaixo para o e-mail: sindicatoescritoresdf@gmail.com
– Nome do autor:
– Breve bibliografia (máx 12 linhas):
Obras:
– Gênero
– Título
– Faixa etária
– Número de páginas
– Resumo
– Esta obra recebeu prêmio?
– Data de publicação:
– Editora/ edição própria:

Estamos a trabalhar.

MARCOS LINHARES
PRESIDENTE
Sindicato dos Escritores do Distrito Federal
Tels.:  55 (61) 3031-6524 | 8405-8290
sindicatoescritoresdf@gmail.com
SCN Quadra 02 Bloco D Loja 310
1º Pavimento Shopping Liberty Mall – Asa Norte
CEP: 70712-904 – Brasília – DF